Perfil

Geraldo Magela é um bancário que se tornou político do Distrito Federal, com atuações também no plano nacional e internacional.

Foi eleito duas vezes deputado distrital e três vezes deputado federal.

Foi Presidente da União Nacional dos Legislativos Estaduais – UNALE e Presidente da Confederação Parlamentar das Américas – COPA.

Em 2002 foi candidato a Governador do DF e em 2014, candidato a Senador, não logrando êxito nestas eleições.

Geraldo Magela Pereira nasceu em Patos de Minas (MG), em 26 de dezembro de 1956.

Ainda na infância, viveu momentos difíceis após a morte do pai, trabalhador rural, que deixou uma família com nove filhos.

Aos 10 anos, Magela começou a trabalhar para contribuir com o sustento da casa.

Apesar do peso das novas responsabilidades, a experiência fez Magela conhecer a importância do trabalho. Foi aprendiz de sapateiro, entregador de pão, engraxate e auxiliar de escritório.

Apesar das dificuldades, ele conseguiu conciliar o trabalho com os estudos, o que possibilitou ser aprovado em concurso público para o Banco do Brasil no ano de 1.976.

Como bancário, a vida o levou a trilhar muitos outros caminhos que lhe abriram as portas para a vida pública.

Transferido pelo Banco do Brasil, chega a Brasília no início do ano de 1.979, já iniciando sua  militância no movimento sindical. Como bancário-servidor público, atuou no movimento em defesa da categoria dos bancários.

No ano seguinte, 1.980, tornou-se membro fundador do Partido dos Trabalhadores e, em 1983, ajudou a fundar a Central Única dos Trabalhadores – CUT.

Em 1990, na primeira eleição para o governo do Distrito Federal e para a Câmara Legislativa, Magela foi eleito deputado distrital, tendo sido um dos mais bem votados.

Nesta época participou da criação da Lei Orgânica do DF – a Constituição local, dentre muitos outros trabalhos de destaque no primeiro mandato.

Em 1994, além de ser reeleito Deputado Distrital, ajudou a eleger o então petista Cristóvam Buarque para o governo do Distrito Federal. Magela era o Presidente regional do Partido.

Em 1995, Magela assumiu a Presidência da Câmara Legislativa onde deixou um legado de serviços prestados à população do DF. Dentre as ações, destaca-se a aprovação do Código de Ética e Decoro Parlamentar, sendo o DF o primeiro legislativo estadual a ter estas normas.

Em 1997, Magela foi nomeado secretário de Habitação do DF quando criou o Programa de Cooperativas Habitacionais.

Em 1998 foi eleito deputado federal.

Durante seu primeiro mandato no Congresso Nacional foi considerado um dos principais parlamentares nacionais pelo DIAP –  Departamento Intersindical de Assessoramento Parlamentar.

Nesta oportunidade foi eleito Presidente da COPA – Confederação Parlamentar das Américas.

Em 2002, foi candidato a governador, protagonizando a disputa mais acirrada e polêmica de toda a história do Distrito Federal contra Joaquim Roriz. Recebeu 49,5% dos votos no segundo turno.

Entre 2006 foi eleito para novo mandato de Deputado Federal.

Em 2009, Geraldo Magela exerceu um dos cargos mais importantes do Congresso Nacional: relator geral do Orçamento do país.

Nesta condição, ele assegurou recursos para importantes iniciativas do governo federal, como o programa Minha Casa, Minha Vida e o PAC, além de aprovar aumento para os aposentados.

Magela também foi presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura no Congresso Nacional, além de ser indicado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) como um dos parlamentares mais atuantes.

Na eleição de 2010, Magela foi reeleito deputado federal com mais de 86 mil votos.

Em 2011, assumiu, pela segunda vez, a Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Sedhab) com a proposta de implantar uma nova política habitacional na Capital do País.

Entre os anos de 2.011 e 2.104, Magela liderou projetos importantes para a população do DF, como Morar Bem e Mutirão das Escrituras.

Em 2014 foi candidato a senador pelo PT, ficando em terceiro lugar na votação.